Panda gigante sai da categoria “espécie em perigo” para “espécie vulnerável” | WWF Mozambique

Panda gigante sai da categoria “espécie em perigo” para “espécie vulnerável”

Posted on
06 September 2016
A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) anunciou a mudança positiva para o estatuto oficial do panda gigante, da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, apontando para o memento de 17% da população na década até 2014, após um censo nacional ter encontrado 1.864 pandas gigantes na China.

"Durante mais de cinquenta anos, o panda gigante tem sido o ícone de conservação mais querido no mundo, sendo também o símbolo da WWF-Fundo Mundial para a Natureza. O facto de o Panda ter dado agora um salto, é um momento emocionante para todos os comprometidos com a conservação da vida selvagem do mundo e dos seus habitats", disse Marco Lambertini, Director-geral do WWF.

"A recuperação do panda mostra que quando a ciência, a vontade política e o envolvimento das comunidades locais vêm juntos, podemos salvar a vida selvagem e também melhorar a biodiversidade", acrescentou Lambertini.

Entretanto, enquanto o estatuto do panda tem melhorado, outras espécies estão sob ameaça crescente, incluindo o Gorila do Leste que está agora listado como criticamente ameaçado, apenas a um passo de distância de extinção, devido principalmente à caça furtiva.

O Logotipo do WWF, o panda, foi projetado pelo Presidente fundador da organização, o pintor e naturalista Sir Peter Scott, em 1961. Vinte anos mais tarde, o WWF tornou-se na primeira organização internacional a trabalhar na China.

Desde então, a WWF tem vindo a trabalhar com o governo chinês em iniciativas para salvar pandas gigantes e seu habitat, incluindo apoio no estabelecimento de uma rede integrada de reservas de panda gigante e corredores de vida selvagem, para conectar populações do panda isoladas, bem como trabalhar com as comunidades locais para desenvolver meios de subsistência sustentáveis e minimizar seu impacto sobre as florestas.

Estes esforços permitiram que o número de reservas de panda saltasse para 67, que agora ajudam a proteger cerca de dois terços da espécie. Elas também têm ajudado a proteger grandes áreas de florestas montanhosas de bambu, que abrigam inúmeras outras espécies e fornecer serviços naturais a grande número de pessoas, incluindo dezenas de milhões de pessoas que vivem junto de rios à jusante dos habitats do panda.

"Esta reclassificação é o reconhecimento de décadas de esforços bem sucedidos de conservação liderados pelo governo chinês e demonstra que investimentos na conservação das espécies emblemáticas como pandas gigantes compensam, beneficiando também a sociedade", disse Lo Sze Ping, CEO da WWF-China.

"Todos devem celebrar esta conquista, estando porém, ciente de que os pandas continuam dispersos e vulneráveis, e muito do seu habitat é ameaçada por projectos de infra-estruturas mal planificados. E lembre-se: Existem apenas 1.864 pandas na selva."

Depois de décadas de trabalho, é claro que só uma abordagem ampla será capaz de assegurar a sobrevivência, a longo prazo, dos pandas gigantes da China e seu habitat único, o que se torna ainda mais difícil pelos impactos das alterações climáticas. Isso exigirá ainda maior investimento público, mais fortes parcerias com as comunidades locais e uma maior compreensão da importância da conservação da vida selvagem para as pessoas.

Comments

blog comments powered by Disqus
Giant Panda no longer endagered.
© Andy Rose- WWF-Canon