Navio ancorado na Ilha dos Portugueses (em Moçambique) parte sem autorização e é apreendido na Indonésia | WWF Mozambique

Navio ancorado na Ilha dos Portugueses (em Moçambique) parte sem autorização e é apreendido na Indonésia

Posted on
16 April 2018
No passado dia 08/04, a imprensa internacional (Reuters em Jakarta) reportou o apresamento pela Marinha da Indonésia, a 06 de Abril, de um navio pesqueiro, na Indonésia, após uma perseguição resultante do alerta lançado pela Policia Internacional (Interpol). O navio havia já escapado do apresamento na China e em Moçambique, onde as autoridades apenas apreenderam documentos do barco e da tripulação.

A entrada e saída do navio STS 50, de pavilhão togolês, das águas jurisdicionais moçambicanas ainda continua um mistério. O navio constante da lista dos barcos ilegais da Comissão de Conservação dos Recursos Marinhos Vivos da Antártida (CCAMLR) partira de Ehoala a 15 de Fevereiro de 2018 e transitou directamente para Maputo. Com cerca de 600 redes de emalhar consideradas não selectivas.

O navio abandonou as águas jurisdicionais moçambicanas, quando estava sob investigação das autoridades moçambicanas com o apoio da Rede Internacional de Monitorização, Controlo e Fiscalização (MCS).

Tripulação do Navio STS-50 sob custódia da Marinha indonésia no porto de Sabang, na Indonésia. Foto tirada em 7 de abril de 2018. Antara Foto / Ampelsa / via REUTERS

A embarcação de 258 metros de comprimento denominada STS-50, já usou outros nomes como Sea Breeze, Andrey Dolgov, and Aida, segundo noticiou a Channel News Asia. Segundo a mesma fonte, a tripulação era usada como “escravos marítimos”. Note-se que a Indonésia declarou uma guerra sem quartel aos navios ilegais com medidas radicais como afundamentos e explosão de navios encontrados em actividades ilegais de pesca.

 


 

Comments

blog comments powered by Disqus